Exercício físico na gravidez

exercicio fisico na gravidez

O exercício físico pode e deve ser recomendado a todas as grávidas, na ausência de contraindicações clínicas ou obstétricas. A sua prática regular durante a gravidez permite promover inúmeros benefícios físicos e psicológicos e não acarreta efeitos adversos para o bebé. Deve ser praticado com uma intensidade leve a moderada e de acordo com a condição física prévia. A prática regular de exercício na gravidez permite enfrentar as alterações fisiológicas de maneira mais controlada, ultrapassando esta fase de forma mais agradável e permitindo uma melhor e mais rápida recuperação no pós-parto.

A prática diária de exercício físico pode promover inúmeros benefícios, incluindo a prevenção de diabetes gestacional, maior controle da sintomatologia típica da gravidez (cãibras, edema e fadiga), não induz o trabalho de parto prematuro, nem recém-nascidos de baixo peso, não tendo qualquer efeito adverso no bebé.

A grávida deve escolher a atividade física que melhor de se adapte às suas características e gostos, para manter a sua motivação e aderência a longo prazo. Deve evitar exercícios de alto impacto, com risco de queda ou traumatismo abdominal elevado e desportos de contacto.

Os exercícios aeróbicos são fundamentais para manter a capacidade cardiorrespiratória e o condicionamento físico ao longo de toda a gravidez, sendo os mais indicados para prevenir e controlar a diabetes gestacional, a hipertensão arterial e o ganho de peso da mãe. Pode optar por caminhada, bicicleta, natação, hidroginástica, dança ou ginástica aeróbica de baixo impacto.

Os exercícios de fortalecimento muscular são importantes para o aumento da força muscular global, bem como, ajudam a uma melhor adaptação do organismo materno às alterações posturais inerentes à gravidez e a ultrapassar os desconfortos da gravidez (cãibras, dores nas costas, edema). Pode optar por yoga, pilates, treino funcional ou em circuito, utilizando o próprio peso corporal e/ou faixas elásticas (em vez de pesos livres e aparelhos de musculação).

Deve combinar os exercícios anteriores com o alongamento muscular, para permitir uma melhor flexibilidade e relaxamento muscular global.

Sem nunca esquecer os exercícios de fortalecimento do pavimento pélvico através de contrações rápidas e lentas em diferentes posturas.

A intensidade dos exercícios selecionados deve ser leve a moderada e deve fazê-los diariamente cerca de 30 minutos por sessão.

Deve prestar especial atenção à sua termorregulação, beber muita água e consumir as calorias necessárias para a prática de exercício físico.

Deve adequar a sua prática ao trimestre gestacional onde se encontra.

A prática de exercício físico deve ser iniciada após a 12ª semana de gestação, no caso de mulheres que não costumem praticar exercício. As restantes, devem manter a sua atividade física fazendo as devidas adaptações da intensidade e frequência.

Contudo, o primeiro trimestre pode ser uma fase delicada para a prática de exercício, pois as alterações hormonais determinam, com relativa frequência, mal-estar, como náuseas e vômitos, além de sonolência e indisposi­ção, o que pode dificultar a aderência e a disposição para a prática de exercício.

Em geral, o 2º trimestre é o melhor período para a prática de exer­cícios, pois a mulher encontra-se mais bem disposta e livre dos inconvenientes do início da gravidez.

No 3º trimestre a grávida tende a diminuir a intensidade dos exercícios em função do aumento de peso corporal e outros desconfortos e limitações. No entanto, a prática de exercícios leves deve continuar a ser estimulada. Nesta fase para além dos exercícios já mencionados anteriormente, devem também, promover-se o alongamento e flexibilidade do períneo (após as 35 semanas).

Não existe uma idade gestacional limite para a interrupção da prática de exercícios, sendo muito variável entre as grávidas. Nesse período, as mulheres devem ficar atentas e ser muito bem orientadas sobre sinais e sintomas que indiquem a proximidade e o início do trabalho de parto, e os sinais de alerta para interromper a prática.

E agora, que se habituou a ter uma prática de exercício pode continuar após o parto. Numa fase inicial para recuperar a forma física e depois para a manter. Aproveita esta fase da vida para adquirir hábitos saudáveis e mantê-los.

Leave a Comment