O exercício e a diástase abdominal

exercicio e diastase abdominal

A diástase abdominal é o afastamento entre os músculos abdominais ao longo da linha alba (linha escura que surge na barriga e vai desde o púbis até ao umbigo, às vezes até mais acima). Este afastamento ocorre durante a gravidez devido ao crescimento uterino e fetal que provoca um estiramento exagerado, mas também devido ao relaxamento muscular (consequência das alterações hormonais).

Por vezes, esta situação resolve-se espontaneamente (entre as 4 e as 8 semanas) após o parto. No entanto, infelizmente isto não acontece à maioria das mulheres (nem no pós parto imediato, nem nos anos seguintes).

Como é que podemos resolver esta situação?

Primeiro que tudo é  importante conhecer o grau de afastamento (distância) entre os seus abdominais. Posteriormente, e através de um programa de treino adequado à sua diástase abdominal e à sua condição física é possível reeducar o equilíbrio abdominal e promover a estabilidade muscular desta região.

Alguns exercícios são contraindicados para a maioria das diástases abdominais (com distâncias superiores a 2 cm entre os retos abdominais). É o caso dos “abdominais” tradicionais ou as pranchas. Todos os exercícios que provoquem um aumento da pressão intra abdominal são também contra indicados. Nestes casos, estes exercícios vão provocar um aumento do afastamento entre os abdominais e assim agravar a sua situação (ver vídeo). A solução passa por realizar exercícios no sentido de trabalhar a parte lateral dos abdominais (para “empurrar” os músculos no sentido de fechar a diástase).

Por isso, a escolha dos exercícios abdominais deve ser pensada, tendo sempre em conta uma avaliação prévia da parte abdominal e do tamanho da diástase. Todas as mulheres são diferentes e as suas diástases também. O que funciona para umas pode não funcionar para outras.

É possível tratar a diástase abdominal, sem ser necessário recorrer a cirurgia (dependendo do seu tamanho), recorrendo a exercícios específicos de fortalecimento global, respiratórios e posturais.

Leave a Comment