A palavra começada por “C” que nenhum pai quer pronunciar!

letra c

Pois é… as Cólicas! UPS… lá disse a palavra que nenhum pai quer pronunciar e que deseja nunca passar por isso! Será que está para nascer o bebé que nunca teve cólicas?

Muito se fala sobre as cólicas do recém nascido. Parece que é um mal comum e que se verifica na maioria dos bebés. Uns sofrem mais do que outros e os pais têm muitas vezes dificuldades em saber qual o melhor método para as ultrapassar.

Mas vamos recuar um pouco … porque surgem as cólicas?

– Alguns dizem que as cólicas surgem devido à imaturidade do intestino. O intestino funciona através de “movimentos peristálticos” e numa fase inicial, devido à sua imaturidade, estes movimentos encontram-se ainda descoordenados podendo provocar dilatações súbitas e consequentemente dor.

– Por outro lado, os bebés engolem muito ar. Mas não o fazem apenas quando mamam ou bebem o biberão. Quando chucham ou simplesmente abrem a boca para chorar, engolem grandes quantidades de ar pois os seus mecanismos de deglutição e respiração ainda não se encontram bem sincronizados. O ar engolido vai dilatar o intestino e provocar dor.

– Por último, as cólicas podem ser o resultado de uma resposta psicossomática do organismo. Reparem que o bebé estava habituado a viver num T0, com um ambiente calmo, pouca luz, praticamente sem ruídos fortes, sendo embalado pelo som dos batimentos cardíacos da mãe e pelo movimento constante da bacia. Imaginem o que é um bebé habituado a tudo isto, durante 9 meses, passar por um canal muito apertado e passar a viver num T4, cheio de luz, som e estímulos diversos. Todos os dias é sujeito a novos estímulos e imensa informação, bem como, visitas constantes, aparelhos eletrónicos, entre muitas outras coisas. O intestino vai ser o órgão que mais reage ao stress. E se pensarmos é algo que vai acontecer a vida toda… antes de um exame, de uma entrevista de emprego, quando arranjamos um namorado…

O que fazer para ultrapassar esta fase?

Calor, colo, movimento e massagem podem ser a solução para este momento que aterroriza os dias de tantas famílias.

Leave a Comment