Cuidados da mãe no pós parto

cuidados da mae no pos parto

Durante 9 meses foi cuidando de si para que tivesse uma gravidez calma e tranquila e o seu bebé nascesse saudável. Muitas vezes após o parto, as mulheres esquecem-se que também devem cuidar delas para assim conseguir cuidar dos seus bebés.

Para além de manter uma alimentação saudável e equilibrada, sobretudo se está a alimentar o seu bebé com leite materno, deve beber bastante água (cerca de 1,5 litro por dia). Deve descansar bastante (aproveitando as sestas do seu bebé) para conseguir aguentar as noites infinitas sem dormir. E a prática de exercício físico é também aconselhada pelos seus inúmeros benefícios.

Para além disso, existem alguns cuidados que deve ter no imediato.

(mais…)

O bê-à-bá da amamentação

Já de certo ouviu falar das inúmeras vantagens do aleitamento materno em exclusivo até aos 6 meses, quer para o seu bebé quer para si. Nunca é de mais recordar…o aleitamento materno previne infeções gastrointestinais, respiratórias e urinárias, tem um efeito protetor sobre as alergias, permite uma melhor adaptação a outros alimentos, diminui a prevalência da diabetes, obesidade e doenças cardíacas no futuro. Por outro lado, é benéfico para a mãe, pois ajuda na involução uterina, diminui a probabilidade do risco de cancro da mama, é barato e de rápida preparação e ajuda na perda de peso.

(mais…)

Dar de mamar

amamentação

A amamentação é um momento mágico partilhado entre a mãe e o bebé, logo não deve ser dolorosa. No entanto, enquanto a mãe e o bebé estiverem a aprender a fazê-lo, pode sentir alguma dor ou desconforto, quando o bebé se prende à mama. Essa sensação deve desaparecer rapidamente e, a partir daí, deve desfrutar de todos os momentos únicos de amamentar o seu bebé. Se continuar a magoá-la, isso significa, muito provavelmente, que o seu bebé não se prende da forma correta à sua mama. Se for esse o caso, deve retirá-lo da mama, colocando o dedo mindinho na boca do bebé de forma a que a sucção se interrompa. Se a dor continuar durante a amamentação, peça-nos ajuda para contornar as suas dificuldades.

Pode dar de mamar na posição que para si for mais confortável, quer seja sentada ou deitada de lado. Deve ter atenção para não espremer, nem comprimir a mama. O bebé deve estar todo virado para a mãe e deve permitir que ele procure e vá em busca da mama (e não o contrário). Pode aproveitar a mamada para contrair a musculatura do pavimento pélvico. No final da mamada, deve alongar para diminuir a tensão dos seus músculos.

(mais…)

Extração e conservação do leite materno

Com o passar do tempo pode sentir necessidade de extrair o seu leite por diversos motivos:

– auxiliar o seu bebé a prender-se a uma mama cheia de leite (ingurgitada);

– se sentir as suas mamas cheias e desconfortáveis;

– se o seu bebé for demasiado pequeno ou estiver demasiado doente para que o possa amamentar;

– se tiver que se afastar do seu bebé por mais de uma ou duas horas;

– se estiver para regressar ao emprego.

Há 3 métodos principais para extrair o seu leite: à mão, com uma bomba manual ou com uma bomba elétrica. Qualquer que for o método que preferir, é importante que antes de começar lave bem as suas mãos. Todos os recipientes, garrafas e peças da bomba, deverão ser lavados em água quente, com sabão (não utilize detergentes concentrados), e posteriormente enxaguados com água quente.

Para facilitar a extração do leite escolha um local tranquilo, onde possa relaxar e se sinta confortável. Pode beber uma bebida morna, ouvir música e olhar para o seu bebé (ou para uma fotografia). Massaje, suavemente a mama com as pontas dos dedos ou com o punho cerrado, em movimento circulares e no sentido dos mamilos. Evite deslizar os dedos ao longo das mamas, pois isso pode causar danos à pele.

Este movimento pode promover a libertação de hormonas que, por sua vez, estimula as suas mamas a produzirem e libertarem o leite. À medida que se for habituando a extrair o seu leite, verá que uma preparação assim tão cuidadosa cedo deixará de ser necessária. Tal como acontece com a própria amamentação, com a prática tudo se torna mais fácil.

O leite materno pode ser guardado no frigorífico, a uma temperatura de 2-4 °C, até 4 dias na parte mais fria do frigorífico. O leite materno pode conservar-se durante 2 semanas, congelado, se o congelador estiver dentro do frigorífico; 3 meses no congelador (porta separada) ou 6 meses numa arca frigorífica.

Para congelar leite materno poderá utilizar qualquer recipiente de plástico (existem sacos de congelação e recipientes rígidos) desde que este disponha de uma vedação hermética e sem bisfenol. Lembre-se de colocar a data em todos os recipientes e colocá-los por ordem de antiguidade. Os recipientes devem ser guardados nas prateleiras e não na porta do frigorífico, pois com a abertura constante da porta a temperatura torna-se menos estável. Se tiver de transportar o leite deve usar um saco térmico para o efeito. Nunca junte leite acabado de extrair ao leite já frio ou congelado.

Quando pretender descongelar o leite, consuma em 1º lugar o guardado há mais tempo. Prefira uma descongelação lenta dentro do frigorífico. Após descongelado, consuma o leite nas 24 horas seguintes e não volte a congelar. Não utilize o micro-ondas para descongelar o leite de forma rápida, é preferível colocar o recipiente debaixo de água morna. Inutilize leite que aqueceu e não consumiu ou leite com mau odor. Aqueça o leite em banho-maria ou debaixo de água quente e não no micro-ondas, pois o aquecimento aqui pode não ser uniforme e queimar a boca do bebé.

Esperamos ter resolvido algumas das suas dúvidas sobre a extração e conservação do leite materno.

As dificuldades da amamentação

Muitos são os textos, artigos de opinião ou documentos que nos falam das vantagens do aleitamento materno. Mas na hora de amamentar surgem diversos obstáculos com os quais nos deparamos e que temos dificuldade em ultrapassar. Para esses ninguém nos alerta. Amamentar é um momento único e maravilhoso, mas para chegar a essa fase pode ser necessário passar por algumas tormentas. São 3 as fases que se podem tornar particularmente difíceis: o regresso a casa, a “subida” do leite e o regresso ao trabalho. Sem falar das gretas e fissuras dos mamilos, bloqueio dos ductos e mastites.

Quando regressamos a casa, por mais aulas de preparação para o parto a que tenhamos assistido surgem dúvidas, novas realidades e sentimo-nos desemparadas pois deixamos de ter um profissional de saúde 24 horas por dia connosco. Por mais bem preparados que estejamos sentimos sempre algumas inseguranças. Será que vou conseguir amamentar? O meu leite é bom para o meu bebé? Será que tenho leite suficiente? O leite sai? O bebé gosta do seu sabor? O bebé estará a engordar? E rapidamente somos assoberbados pelas avós, familiares e amigos que tudo sabem sobre a amamentação e que têm sempre uma palavra a dizer e um conselho para dar. Dá-se a subida do leite, e as mamas ficam duras e o leite custa mais a sair. E agora? O que faço? O bebé chora e o leite não sai.

Mais tarde, aquando do regresso ao trabalho, não sei se vou conseguir extrair o leite com a bomba. Será que o meu bebé vai deixar de mamar? Como é que posso fazer para continuar a amamentar?

É necessário muita coragem, empenho e força de vontade para ultrapassar todas estas fases. Por outro lado, a ajuda do companheiro é fundamental em todo este processo. Os 3 são uma equipa em que cada um tem a sua tarefa bem definida.

A mãe é o comandante responsável pela produção do leite, o pai o ajudante para supervisionar uma boa pega e relaxar a mãe para a libertação de ocitocina (para a saída do leite) e o bebé é o soldado que tem de fazer a pega correta para extrair o leite. Todos têm uma tarefa e são importantes para ocorrer o processo de amamentação.

É por tudo isto, que estamos lá para si. Para a ajudar a ultrapassar as suas dúvidas, incertezas, inseguranças e receios. Para a ajudar a encontrar a resposta adequada às suas dificuldades. A qualquer hora, pois os bebés não mamam só de dia e as noites são muito longas. Para a ouvir e não a julgar. Somos uma equipa que trabalha para si e por si. Contacte-nos.

Tipos de leite materno

Ao contrário do que se possa pensar o leite materno não é sempre igual. A quantidade produzida, a cor e a sua consistência vão variando ao longo dos primeiros dias de vida do bebé. Esta alteração encontra-se relacionada com as necessidades fisiológicas do seu bebé. Existem, então, 3 tipos de leite materno: colostro, leite de transição e leite maduro.

Nos primeiros dias após o parto, as mamas permanecem moles e, nesta fase, encontram-se a produzir o colostro (o primeiro leite). Por isso não se preocupe por ainda não sentir as mamas duras e tensas (como já lhe disseram que ficariam). É perfeitamente normal! O colostro pode ter diferentes cores (por vezes é branco, outras amarelado), é menos espesso e vem em pequena quantidade. Mas essa é a quantidade certa pois não se esqueça que o estômago do seu bebé é semelhante ao tamanho de uma cereja. O colostro permite a limpeza inicial do intestino, permitindo a libertação do mecónio (primeiras fezes do bebé). É rico em anticorpos e vitamina A tendo um efeito protetor contra infeções e alergias intestinais e respiratórias. Sendo por muitos considerado a primeira vacina do bebé.

Entre o 2º ou 3º dia após o parto normal (5º ou 6º após uma cesariana), a mãe começa a notar alterações nas mamas. Elas ficarão duras, quentes e tensas o que indica que a produção de leite está a aumentar e dá-se o que vulgarmente se chama de “subida do leite”. Nesta fase é muito importante que se mantenha calma para não interferir com a produção de ocitocina. E caso o leite não saia logo existem algumas estratégias para aliviar a tensão e facilitar a mamada. Este é o chamado leite de transição e mantém-se até 2 semanas após o parto. Já é mais espesso que o colostro, rico em gorduras e açucares. Por isso o leite é tão docinho para o seu bebé!

A partir da 3ª semana após o parto, este leite transforma-se em leite maduro. É espesso, branco e rico em todos os nutrientes e anticorpos que o seu bebé precisa (incluindo ferro). E tem água! Por isso, o seu bebé não precisa de mais nada para além do seu leite! Mesmo quando chegamos a esta fase o leite pode ir variando nas suas caraterísticas mas é sempre bom para o seu bebé!

Se tiver dúvidas sobre a “subida do leite” ou outras questões relacionadas com a amamentação não hesite em contactar-nos! Teremos uma solução para si!

O aleitamento materno

A amamentação é um momento único e mágico e uma vez estabelecida, é fácil para a maioria das mães e bebés, tornando-se uma experiência aprazível. Porém, nos primeiros dias, mãe e bebé precisam ambos de aprender como o fazer. Lembre-se que as pequenas dificuldades podem ser ultrapassadas com algumas estratégias.

O seu leite é perfeito para o seu bebé e adapta-se às suas necessidades, estando em constante mutação. A maioria dos bebés não precisa de mais nenhum alimento ou bebida até cerca dos 6 meses de vida.

O aleitamento materno tem inúmeras vantagens para o seu bebé:

o   previne infeções gastrointestinais, respiratórias e urinárias;

o    tem um efeito protetor sobre as alergias;

o   permite uma melhor adaptação a outros alimentos;

o   diminui a prevalência da diabetes, obesidade e doenças cardíacas.

Mas a amamentação é também benéfica para a mãe, tendo como vantagens:

o   facilitar a involução uterina mais precoce;

o   associar-se a uma menor probabilidade de ter cancro da mama;

o   ser um meio de alimentação mais barato e seguro;

o   ajudar na perda de peso.

(mais…)