Dicionário médico na gravidez – Volume II

dicionario medico na gravidez volume 2

Numa gravidez saudável, começamos a ouvir alguns termos médicos que por vezes temos dificuldade em descodificar. Seguem-se alguns exemplos.

 

Episiotomia – pequeno corte efetuado na região do períneo (entre a vagina e o ânus), durante o parto vaginal, com o intuito de facilitar a saída do bebé. Não dói pois está anestesiada. Caso não tenha levado epidural é colocado um anestésico local.

(mais…)

Principais alterações durante a gravidez

Principais alterações durante a gravidez

Ao longo da gravidez, o corpo da mulher vai vivenciando inúmeras alterações quer fisiológicas, quer emocionais. É importante conhecer essas alterações de forma a minimizar as queixas e encontrar estratégias e soluções para as ultrapassar. Se potencializarmos o conforto físico e emocional é possível diminuir os receios e os anseios durante a gravidez. Saiba quais são as principais alterações no seu corpo e prepara-se para o que aí vem em cada um dos trimestres da gravidez.

(mais…)

Guia para o trabalho de parto – Parte III

Restam apenas alguns instantes para a aterragem e para ter o seu bebé nos braços. Não é hora de desistir. Seguem-se alguns conselhos para terminar em beleza.

Segunda fase do trabalho de parto

O que acontece?

– Esta é a fase de ” fazer força”. Inicia quando a dilatação está completa e termina quando o bebé nasce.

– Pode durar entre 10 minutos a 2 horas

– As contrações são mais demoradas

Conselhos para si

– A força para empurrar é feita durante a contração e quando o profissional dá essa indicação.

– Utilize as técnicas de respiração que lhe foram ensinadas durante as classes

– Não “prenda” a respiração pois vai diminuir a oxigenação do bebé

– Tente relaxar os músculos do pavimento pélvico

Conselhos para o acompanhante

– Ajude-a durante as técnicas de respiração e dê-lhe comandos positivos

– Ajude-a a adotar uma posição confortável entre as contrações

Terceira fase do trabalho de parto

O que acontece?

– Dequitadura: saída da placenta e dos anexos

– Após a saída da placenta, e caso tenha havido episiotomia, os profissionais de saúde cosem nesta altura

Conselhos para si

– A técnica do “pele com pele” permite aumentar o vínculo mãe-bebé

– Pode dar de mamar pela primeira vez

– Relaxe e aproveite o momento

Conselhos para o acompanhante

– Pode cortar o cordão umbilical

– Segure o bebé pela primeira e goze o momento

– Tire fotografias

– Comemore

Esperamos que esta ajuda tenha sido preciosa. Aproveite o momento maravilhoso e único.

Guia para o trabalho de parto – Parte II

Vamos continuar pelo final desta viagem de 9 meses. Já está em trabalho de parto… O que fazer?

Primeira fase do trabalho de parto

O que acontece?

– As contrações tornam-se mais fortes e mais frequentes, com a duração entre 20 a 40 segundos a cada 5 – 10 minutos.

– Quando chegar à maternidade vai ser observada para avaliar a dilatação.

– É feito o “registo”, isto é, avaliação dos batimentos cardíacos do bebé

Conselhos para si

– Prepare-se para contrações fortes e dolorosas, bem como, para a observação (se a bexiga estiver vazia é mais confortável)

– Peça uma massagem nas costas

– Adote uma posição confortável (posições de pé, balançar para a frente e para trás agarrada ao acompanhante e cócoras podem encurtar a primeira fase)

– Respire com calma

Conselhos para o acompanhante

– Não se esqueça de ir ao WC

– Ajude-a a mudar de posição, faça uma massagem, ponha música a tocar e encoraje a respiração calma

– Dê-lhe toda a sua atenção e atue da forma que ela achar melhor

– Controle a duração das contrações

– Apoie nas decisões que ela tomar

– Lembre-se de comer e beber

– Entre as contrações faça-a rir

– Palavras proibidas: CALMA, RELAXA e RESPIRA

Última parte da Primeira fase do trabalho de parto

O que acontece?

– A cérvix abre-se mais depressa

– As contrações são mais fortes, dolorosas e frequentes

– Se ainda não tiver ocorrido a rutura das águas, ocorrerá por esta altura

Conselhos para si

– Lide com uma contração de cada vez. Tente relaxar entre elas

– Respire com calma

– Mude de posição sempre que possível

– Utilize técnicas de relaxamento e distração

Conselhos para o acompanhante

– Confirme se a mãe está numa posição confortável

– Faça massagem

– Ajude na contagem das contrações

– Se se sentir cansado, lembre-se que ela estará mais

– Não se esqueça de comer e beber

Conheça os últimos conselhos no próximo artigo do blog.

Guia para o trabalho de parto – Parte I

Muito se fala em trabalho de parto, mas é importante saber o que acontece em cada momento. Seguem-se alguns conselhos para si e para o seu acompanhante. Juntos vão percorrer o final desta maravilhosa viagem de forma menos atribulada.

Antes do inicio do trabalho de parto (cerca de 1 semana antes)

O que acontece?

– Aumento do corrimento vaginal (claro)

– Saída do rolhão mucoso

– Aumento da energia para realizar atividades domésticas (“fazer o ninho”)

– Aumento das contrações uterinas (preparação do útero) e possivelmente dor lombar

Conselhos para si

– Tenha a sua mala pronta antes das 36 semanas (não se esqueça de revistas, livros ou mp4)

– Considere a possibilidade de ter mais do que um acompanhante

– Reveja o plano de parto

– Continue a praticar os exercícios dos músculos do pavimento pélvico

– Considere colocar um resguardo na cama para o caso de haver rutura das águas (o que só acontece em 10% dos casos)

Conselhos para o acompanhante

– Faça uma lista de contactos telefónicos para avisar toda a gente da chegada do bebé

– Confirme a rota para o hospital, o tempo que demora, se necessita de moedas para o estacionamento ou tenha o número de telefone dos táxis à mão.

– Confirme se tem a carga total no telemóvel e não se esqueça de ter o carregador sempre à mão.

(mais…)

Alterações no 3º trimestre da gravidez

Estamos próximos da aterragem e do final desta viagem. Este é o trimestre do cansaço acumulado, da ansiedade e dos medos do trabalho de parto e da antecipação das mudanças nas rotinas da sua nova família. É importante ficar a conhecer quais as principais alterações que o seu corpo vai sofrer durante o terceiro trimestre.

No terceiro trimestre de gestação, o aumento do tamanho da barriga é muito superior e o peso também aumenta. Os desconfortos aumentam pelo próprio peso da barriga e as alterações que isso provoca em vários sistemas do corpo da grávida. O efeito das hormonas mantém-se provocando inúmeras alterações a diversos níveis.

As idas ao WC aumentam ainda mais, pois o bebé pressiona mais a bexiga alterando a sua posição no corpo da mulher.

Há um aumento da salivação o que potencia o aparecimento de cáries e as gengivas tendem a sangrar mais. Tenha atenção à sua higiene dentária e se for caso disso procure o seu dentista.

O seu estômago também está a ser comprimido pelo bebé, por isso pode haver um aumento do refluxo gástrico (que provoca azia) e os intestinos encontram-se mais relaxados e a sua mobilidade diminui (podendo levar à prisão de ventre). Demora mais tempo a fazer a digestão, pois todo o sistema gastrointestinal tem menor mobilidade.

O volume sanguíneo também aumenta, podendo influenciar a retenção de líquidos. Há um aumento do débito e da frequência cardíaca. Tudo isto pode levar ao aparecimento do edema e do inchaço nas mãos, pernas e pés. Um cansaço e mal estar permanentes poderão ser devidos à anemia fisiológica da grávida (o ferro diminui durante a gravidez).

O diafragma sobe, sendo empurrado pelo útero que aumentou de tamanho, e há uma diminuição da capacidade respiratória o que aumenta o cansaço e a fadiga e diminui a resistência física da mulher.

As mamas também continuam a crescer, aumentando o seu tamanho, devido ao aumento das glândulas mamárias e à acumulação de gordura (importante para a produção de leite). Mantenha toda esta zona hidrata.

O desconforto nas costas também se acentua e as alterações na sua postura são cada vez mais evidentes.

É natural que comece a sentir contrações ligeiras, irregulares e não dolorosas (contrações de Braxton-Hicks) que preparam o útero para o parto.

As insónias, os pesadelos e a ansiedade começa a acumular-se e a aumentar com a aproximação do parto.

Fique atenta ao seu corpo à medida que o trimestre vai passando e aos sinais de parto que podem surgir.

Técnicas de conforto durante o trabalho de parto

Hoje em dia, muitas mulheres estão à espera de ter epidural durante o trabalho de parto, pois a percepção que têm é de que a dor do trabalho de parto é igual a sofrimento. De fato, a epidural elimina a dor, mas não o receio, a ansiedade, a preocupação, a insatisfação ou o stress provocado pelo trabalho de parto. Para evitar todos estes sintomas é necessário, primeiro que tudo, reconhecer que a dor do trabalho de parto é um processo normal e fundamental para ajudar o bebé a nascer.

Quanto maior for o seu conhecimento e a informação que adquire ao longo da gravidez sobre o trabalho de parto, mais confiante se vai encontrar quando chegar a altura. Ler sobre o assunto, ver vídeos, participar em classes de preparação para o parto, conhecer a sala de partos podem ajudá-la a enfrentar o trabalho de parto com menor ansiedade e de forma mais confiante.

Ter alguém em quem confie e com quem se sinta segura durante todo este processo é também importante para diminuir o desconforto (quer seja o seu companheiro, a mãe ou uma amiga). Preparar um plano de parto que explique exatamente quais os procedimentos que deseja ou não durante o mesmo, pode ajudar a eliminar todos os seus medos e preocupações.

Seguem-se algumas estratégias para diminuir a dor durante o trabalho de parto. Todas elas podem ser treinadas durante a gravidez o que permite interiorizá-las e usá-las com maior facilidade durante o parto.

Técnicas de respiração

Durante a contração, e na fase de dilatação, deve-se respirar de forma lenta e profunda para oxigenar todo o seu corpo, bem como, o bebé. No intervalo das contrações pode respirar-se normalmente. Podemos combinar as técnicas de respiração com os movimentos de alívio da dor. Caso a mulher perca o rítmo, o acompanhante deve olhá-la nos olhos e lembrá-la do ritmo adequado (daí a importância da presença dos acompanhantes durante as classes de preparação).

(mais…)