Principais alterações durante a gravidez

Principais alterações durante a gravidez

Ao longo da gravidez, o corpo da mulher vai vivenciando inúmeras alterações quer fisiológicas, quer emocionais. É importante conhecer essas alterações de forma a minimizar as queixas e encontrar estratégias e soluções para as ultrapassar. Se potencializarmos o conforto físico e emocional é possível diminuir os receios e os anseios durante a gravidez. Saiba quais são as principais alterações no seu corpo e prepara-se para o que aí vem em cada um dos trimestres da gravidez.

(mais…)

Dor lombar na gravidez

É comum ouvirmos as grávidas dizerem que têm “dores nas costas”. Estas dores podem surgir em qualquer trimestre da gravidez, sendo mais frequentes na zona lombar, sacroilíaca e pélvis. Em situações mais extremas podem mesmo irradiar para os membros inferiores.

Mas quais são as causas para o aparecimento da dor lombar durante a gravidez?

(mais…)

20 razões para fazer exercícios físico durante a gravidez

exercício durante a gravidez

Custa iniciar a prática de exercício, não custa? A gravidez é altura ideal para ficar sentada no sofá a ver televisão! Errado!!!! A gravidez pode ser a altura ideal para iniciar a prática de exercício físico (se ainda não o faz). Aliás, pode aliar a sua alimentação saudável à prática de exercício regular para que a sua gravidez corra sobre rodas. Ainda não está convencida? Damos-lhe 20 razões para praticar exercício durante a gravidez.

  1. Previne o ganho de peso excessivo
  2. Pode prevenir a diabetes gestacional
  3. Se a grávida tem diabetes gestacional ajuda a controlar os valores da glicémia
  4. Pode prevenir a hipertensão arterial
  5. Melhora a circulação sanguínea
  6. Diminui os edemas e inchaços típicos da gravidez
  7. Melhora a capacidade aeróbia
  8. Aumenta a oxigenação da placenta
  9. Favorece a mobilidade intestinal, prevenindo a obstipação
  10. Diminui as caibras

(mais…)

10 mitos sobre a gravidez

São muitas as dúvidas e os receios que surgem na gravidez. Associados muitas vezes às histórias e mitos que ouvimos ao nosso redor. É importante desmistificá-las para que tenha uma gravidez tranquila e saudável. Alguns mitos sobre a gravidez:

“Tenho de comer por dois.”

O fato de estar grávida não significa que deva comer a dobrar. Basta consumir mais cerca de 300 calorias diárias para a satisfazer a si e ao seu bebé. É fundamental manter uma dieta saudável e equilibrada para evitar o aparecimento de diabetes gestacional ou hipertensão arterial.

“Estou com azia, por isso o meu bebé vai nascer cabeludo.”

Não existe qualquer relação entre a presença de azia e a quantidade de cabelo que o bebé vai ter. A azia está relacionada com as alterações a nível hormonal que por sua vez afetam a mobilidade do sistema gastrointestinal e a tolerância a determinados alimentos. Por outro lado, no final da gravidez, o maior volume do útero pressiona o estômago que leva a abertura do esfíncter esofágico. Fracione as refeições para evitar a azia.

“Não posso ter relações sexuais durante a gravidez.”

A gravidez e as relações sexuais não são incompatíveis e não apresentam risco físico para a mãe ou para o bebé. Afinal ele encontra-se protegido no interior do útero, dentro do líquido amniótico. Poderá ter é de adaptar as posições pelo desconforto do tamanho da sua barriga. Converse com o seu companheiro.

“A melhor altura para a grávida viajar de avião é no primeiro trimestre.”

O melhor período para a grávida viajar é durante o segundo trimestre, pois o risco de aborto espontâneo é menor, a grávida sente-se bem (regra geral), o sono e os enjoos diminuíram e ainda tem bastante mobilidade (pois o volume da barriga ainda é pequeno).

“Pintar o cabelo faz mal ao bebé.”

Pintar o cabelo não traz qualquer problema de saúde para o seu bebé. No entanto, o cheiro dos produtos pode causar náuseas à grávida, pelo que deve dar preferência a produtos sem amoníaco e optar por espaços bem ventilados.

(mais…)

Lidar com a dor do trabalho de parto

Não tem nada que enganar…”trabalho de parto” não é uma atividade de lazer…sim, ter um bebé é difícil, duro e doloroso. Mas no final, temos uma grande compensação e esta dor indica-nos que o grande momento, pelo qual esperamos durante os 9 meses, está a chegar! A dor do trabalho de parto deve ser encarada como uma aliada e não como uma ameaça, pois a sua função é clara: mostrar à mulher o caminho a seguir para ajudar o bebé a nascer.

A dor motiva a mulher a adotar posições que ajudam a aliviar o desconforto – andar, colocar de cócoras, mudar de posição – e, simultaneamente, quando a mulher adota estas posturas coloca a bacia num ângulo mais adequado para o bebé ir descendo e passar pelo canal de parto.

A epidural é uma ferramenta fundamental para permitir o alívio da dor, mas as mulheres devem estar preparadas para situações em que não podem levar a epidural. Por isso, é muito importante arranjar outras estratégias para o alívio da dor.

A mobilidade

Andar, mudar de posição ou balançar em cima de uma bola alivia a dor e contribui para a progressão do trabalho de parto. Por um lado, temos a ação da gravidade e por outro o movimento permite que o bebé rode e deslize ao longo do canal de parto. A instrumentalização do trabalho de parto limita muitas vezes a liberdade de movimentos na maternidade (é provável que esteja deitada, ligada a monitores ou a soro), mas se possível mude de posição na cama, coloque-se de cócoras, sente-se na berma ou ponha-se de pé ao lado da cama. E sempre pode adotar todas estas posturas antes de ir para a maternidade (para onde se deve deslocar o mais tarde possível).

A respiração

A respiração não tira a dor, mas ajuda a relaxar e a concentrar-se em algo que não seja a contração. Uma respiração adequada ajuda a que não se descontrole, a diminuir a fadiga e a uma boa oxigenação do bebé. Por outro lado, ajuda a lidar com uma contração de cada vez.

(mais…)

Exercício físico na gravidez

exercicio fisico na gravidez

O exercício físico pode e deve ser recomendado a todas as grávidas, na ausência de contraindicações clínicas ou obstétricas. A sua prática regular durante a gravidez permite promover inúmeros benefícios físicos e psicológicos e não acarreta efeitos adversos para o bebé. Deve ser praticado com uma intensidade leve a moderada e de acordo com a condição física prévia. A prática regular de exercício na gravidez permite enfrentar as alterações fisiológicas de maneira mais controlada, ultrapassando esta fase de forma mais agradável e permitindo uma melhor e mais rápida recuperação no pós-parto.

A prática diária de exercício físico pode promover inúmeros benefícios, incluindo a prevenção de diabetes gestacional, maior controle da sintomatologia típica da gravidez (cãibras, edema e fadiga), não induz o trabalho de parto prematuro, nem recém-nascidos de baixo peso, não tendo qualquer efeito adverso no bebé.

A grávida deve escolher a atividade física que melhor de se adapte às suas características e gostos, para manter a sua motivação e aderência a longo prazo. Deve evitar exercícios de alto impacto, com risco de queda ou traumatismo abdominal elevado e desportos de contacto.

Os exercícios aeróbicos são fundamentais para manter a capacidade cardiorrespiratória e o condicionamento físico ao longo de toda a gravidez, sendo os mais indicados para prevenir e controlar a diabetes gestacional, a hipertensão arterial e o ganho de peso da mãe. Pode optar por caminhada, bicicleta, natação, hidroginástica, dança ou ginástica aeróbica de baixo impacto.

Os exercícios de fortalecimento muscular são importantes para o aumento da força muscular global, bem como, ajudam a uma melhor adaptação do organismo materno às alterações posturais inerentes à gravidez e a ultrapassar os desconfortos da gravidez (cãibras, dores nas costas, edema). Pode optar por yoga, pilates, treino funcional ou em circuito, utilizando o próprio peso corporal e/ou faixas elásticas (em vez de pesos livres e aparelhos de musculação).

(mais…)

Dicas para um pai desesperado

Está perdido! Acabou de descobrir que vai ser pai! Um misto de sensações e sentimentos acumulam-se no seu interior! Respire fundo, sente-se numa posição confortável e veja algumas dicas que se seguem que o vão ajudar a ultrapassar a intensidade dos próximos meses!

9 meses

Durante estes meses, a barriga da sua mulher começará a crescer! O seu peso começará a aumentar, ocorrem diversas alterações físicas e hormonais e a sua postura altera-se!

Ajude-a a passar a gravidez da forma mais tranquila possível:

– aprenda a massajar as costas e as pernas da sua companheira para aliviar as dores e o desconforto;

– façam caminhadas;

– ajude-a a arranjar uma posição confortável para dormir (coloque várias almofadas debaixo dos joelhos, costas, barriga e regule a temperatura do quarto);

– lembre-a de contrair o períneo;

– frequente com ela as classes de preparação para o parto para ficarem mais seguros e tranquilos;

– vá, sempre que possível, às consultas e ecografias de rotina;

– fale com o seu bebé (a partir das 24 semanas) e tente sentir os seus pontapés quando coloca as mãos na barriga da mãe;

– conheça os vários trajetos possíveis para a maternidade;

– informe-se sobre os seus direitos junto da segurança social.

Hora H

Chegou o grande dia! Seja o melhor acompanhante de parto possível! Algumas dicas:

– 3 sinais de parto: saída do rolhão mucoso, contrações uterinas e rutura do saco amniótico.

– Leve roupa fresca e confortável para a maternidade, bem como, comida e bebida. E não se esqueça de ir ao WC!

– Ajude-a a mudar de posição, façam em conjunto os exercícios da bacia, faça-lhe uma massagem, ponha música a tocar e encoraje a respiração calma

– Controle a duração das contrações uterinas

– Palavras proibidas: CALMA, RELAXA e RESPIRA

– Ajude-a na fase de expulsão (a fazer força)

– Tire fotografias

Pós parto

Estão os dois muito felizes e cansados e surge uma nova etapa…cuidar do vosso bebé. Ficam agora algumas dicas sobre como pode ajudar.

– Ajude na amamentação a posicionar a mãe e o bebé corretamente, faça massagem nas costas (para libertar ocitocina), massaje as mamas para facilitar a saída do leite;

– Ponha o bebé a arrotar;

– Dê-lhe o biberão e lave-o no final;

– Dê banho ao seu bebé;

– Mude a fralda;

– Use a técnica do canguru (para acalmar o seu bebé);

– Alivie as cólicas do seu bebé;

– Dê mimos à mãe.

Existem uma série de estratégias para o que foi mencionado anteriormente. Para as conhecer, basta frequentar as classes de preparação para o nascimento. Mas qualquer dúvida não hesite em contactar a bebés e barriguitas, teremos de certo a melhor solução para si!

Alterações no 3º trimestre da gravidez

Estamos próximos da aterragem e do final desta viagem. Este é o trimestre do cansaço acumulado, da ansiedade e dos medos do trabalho de parto e da antecipação das mudanças nas rotinas da sua nova família. É importante ficar a conhecer quais as principais alterações que o seu corpo vai sofrer durante o terceiro trimestre.

No terceiro trimestre de gestação, o aumento do tamanho da barriga é muito superior e o peso também aumenta. Os desconfortos aumentam pelo próprio peso da barriga e as alterações que isso provoca em vários sistemas do corpo da grávida. O efeito das hormonas mantém-se provocando inúmeras alterações a diversos níveis.

As idas ao WC aumentam ainda mais, pois o bebé pressiona mais a bexiga alterando a sua posição no corpo da mulher.

Há um aumento da salivação o que potencia o aparecimento de cáries e as gengivas tendem a sangrar mais. Tenha atenção à sua higiene dentária e se for caso disso procure o seu dentista.

O seu estômago também está a ser comprimido pelo bebé, por isso pode haver um aumento do refluxo gástrico (que provoca azia) e os intestinos encontram-se mais relaxados e a sua mobilidade diminui (podendo levar à prisão de ventre). Demora mais tempo a fazer a digestão, pois todo o sistema gastrointestinal tem menor mobilidade.

O volume sanguíneo também aumenta, podendo influenciar a retenção de líquidos. Há um aumento do débito e da frequência cardíaca. Tudo isto pode levar ao aparecimento do edema e do inchaço nas mãos, pernas e pés. Um cansaço e mal estar permanentes poderão ser devidos à anemia fisiológica da grávida (o ferro diminui durante a gravidez).

O diafragma sobe, sendo empurrado pelo útero que aumentou de tamanho, e há uma diminuição da capacidade respiratória o que aumenta o cansaço e a fadiga e diminui a resistência física da mulher.

As mamas também continuam a crescer, aumentando o seu tamanho, devido ao aumento das glândulas mamárias e à acumulação de gordura (importante para a produção de leite). Mantenha toda esta zona hidrata.

O desconforto nas costas também se acentua e as alterações na sua postura são cada vez mais evidentes.

É natural que comece a sentir contrações ligeiras, irregulares e não dolorosas (contrações de Braxton-Hicks) que preparam o útero para o parto.

As insónias, os pesadelos e a ansiedade começa a acumular-se e a aumentar com a aproximação do parto.

Fique atenta ao seu corpo à medida que o trimestre vai passando e aos sinais de parto que podem surgir.

Alterações no 2º trimestre da gravidez

A sua viagem continua e agora está em velocidade de cruzeiro. Este trimestre é marcado pelo aumento do tamanho da barriga e pela descoberta do sexo do seu bebé. É importante ficar a conhecer quais as principais alterações que o seu corpo vai sofrer durante o segundo trimestre.

Neste trimestre, começa a aumentar de peso mas tenha cuidado para não ser em excesso. Não se esqueça que a maior concentração de gordura irá parar às nádegas, abdómen e coxas. Mantenha uma alimentação saudável e equilibrada e beba cerca de 1,5 a 2 litros de água por dia. A sua barriga começa a aumentar e a notar-se ligeiramente para além da linha da bacia. É importante que faça uma hidratação adequada da pele para evitar o aparecimento  das estrias.

As alterações posturais são agora mais evidentes. A flexibilidade articular aumento, bem como, o relaxamento dos ligamentos da bacia (que irá permitir a abertura da bacia para a passagem do bebé durante o parto). Observa-se, por vezes, uma linha escura e vertical a meio da barriga, designada por diástase abdominal (afastamento dos músculos abdominais). Com estas alterações posturais e com o aumento do tamanho da barriga, o seu centro de gravidade começa a deslocar-se para a frente, o que vai provocar ainda mais alterações na sua postura e no equilíbrio. Por isso, é tão importante fazer exercícios de equilíbrio para evitar quedas. O seu corpo não está habituado a todas estas alterações e é muito frequente sentir dor nas costas, sobretudo na região lombar e bacia.

A sua pele continua a escurecer em algumas regiões do corpo, aumenta a pilosidade abdominal e a atividade das glândulas sudoríparas (aumentando a produção de suor).

As suas mamas continuam a preparar-se para a amamentação e pode, nesta fase, começar a notar a saída de um líquido transparente do mamilo (colostro).

A retenção de líquidos ocorre durante esta trimestre (mantendo-se depois até ao final da gravidez), podendo manifestar-se através de edema ou inchaço nas mãos, pés e pernas. Deve beber muita água, para se deslocar mais vezes ao WC e assim eliminar os líquidos, evitando a sua retenção.

Alterações no 1º trimestre da gravidez

Começa a sua viagem por esta nova aventura repleta de mudanças físicas e emocionais. Este primeiro trimestre é marcado por drásticas alterações hormonais. É tudo novo para si (ou não!!!). É importante ficar a conhecer quais as principais alterações que o seu corpo vai sofrer durante o primeiro trimestre da gravidez.

As alterações mais evidentes durante este trimestre são a amenorreia, as náuseas, os enjoos, os vómitos, o aumento do sono e o cansaço extremo. É frequente sentir maior sensibilidade mamária podendo já observar-se um aumento do tamanho das mamas (relacionado com o aumento do volume dos ductos mamários). Pode começar a notar um escurecimento do mamilo e da aréola (este escurecimento serve de “farol” para o seu bebé conseguir identificar o local onde deve pegar para mamar). O útero também começa a sofrer alterações (estas não tão visíveis como as anteriores) ocorrendo um aumento do seu tamanho. Este aumento de volume começa a comprimir todos os órgão da região abdominal, nomeadamente, a bexiga. Por isso, a frequência das idas ao WC aumenta (associada às influências hormonais). A tapar a entrada do colo do útero vamos encontrar o rolhão mucoso, que servirá de barreira mecânica durante toda a gravidez. O aumento do tamanho do útero vai também provocar alterações na curvatura lombar (alterando a postura da mulher e o seu centro de gravidade) e no diafragma (este sobe e diminui a capacidade respiratória).

O sistema endócrino (as famosas hormonas) vai ter também um importante papel nas alterações que ocorrem nos vários sistemas do corpo da mulher. Sem esquecer, claro, as oscilações de humor frequentes nas grávidas. (a culpa é sempre das hormonas).

Os seus sentidos vão também sofrer alterações, como é o caso do olfato e do paladar. A sua sensibilidade aos cheiros aumenta podendo inclusive aumentar-lhe os enjoos e as náuseas. O seu paladar também se pode alterar, podendo agora escolher alimentos que não gostava e ter aversão a alimentos que adorava.

Poderá sentir mais fome, mas é importante que mantenha uma alimentação saudável e equilibrada e beba muita água (cerca de 1,5 a 2 litros por dia).

Para ultrapassar estes primeiros desconfortos é importante que ouça o seu corpo e que aproveite para descansar. Estas alterações são importantes para o desenvolvimento do seu bebé.

E quando chegar ao fim deste trimestre lembre-se que o próximo será com certeza mais confortável.